Assessoria de Segurança , China

Recomendações de segurança do CPJ: Cobrindo o surto de coronavírus

Também disponível em English, Español, العربية, Türkçe, Français, Русский

Policiais e soldados verificam passageiros saindo da principal estação ferroviária de Milão, na Itália, em 9 de março de 2020. O primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte assinou um decreto de quarentena em 8 de março para a região norte do país, na tentativa de impedir a propagação do novo coronavírus. (Claudio Furlan/LaPresse via AP)

Atualizado em 25 de março de 2020

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto de COVID-19 (novo coronavírus) uma pandemia em 11 de março de 2020, e o número de casos continua a aumentar globalmente, segundo a OMS. O John Hopkins University Coronavirus Resource Center (Centro de Recursos de Coronavírus da Universidade John Hopkins) é um recurso seguro e confiável para manter-se atualizado sobre os desdobramentos da epidemia.

Jornalistas de todo o mundo estão desempenhando um papel decisivo ao manter o público informado sobre o vírus e os esforços dos governos para combatê-lo. Isso significa que os membros da mídia estão virtualmente expostos a infecções por meio de viagens, entrevistas e locais em que se encontram trabalhando.

À medida que a situação continua a evoluir e surgem novas informações, as autoridades pertinentes vão emitir recomendações de saúde atualizadas e notícias sobre a epidemia. Para manter-se atualizado sobre os mais recentes conselhos e restrições, os jornalistas que cobrem a endemia devem monitorar as informações da OMS e de seus órgãos locais de saúde pública.

FICAR SEGURO EM CAMPO

Devido à imposição de amplas restrições internacionais de viagens, a grande maioria das coberturas de mídia provavelmente permanecerá em âmbito doméstico no futuro imediato. É muito provável que todas as coberturas mudem ou sejam canceladas com curto ou nenhum aviso prévio, devido à rápida evolução e desdobramento da situação pelo mundo.

Os que que planejam cobrir a proliferação do coronavírus, provocado pelo COVID-19, devem considerar as seguintes informações de segurança:

Pré-cobertura

● De acordo com os Centers for Disease Control and Prevention - CDC (Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA), idosos e indivíduos com certas condições de saúde são considerados de alto risco. Se você se enquadra nessas categorias, não deve participar de nenhum trabalho que o coloque em contato direto com o público em geral. Deve-se considerar também qualquer funcionária que esteja grávida

● Ao selecionar o pessoal para qualquer reportagem relacionada ao COVID-19, a chefia deve estar atenta a ataques racistas contra certas nacionalidades, de acordo com BuzzFeed e a Embaixada dos EUA em Addis Abeba, que recentemente emitiu um alerta sobre incidentes hostis e violentos contra estrangeiros no país. Tais incidentes provavelmente se tornarão mais comuns à medida que a epidemia continuar a se espalhar

● Discuta quais planos a equipe de gerenciamento da cobertura vai implantar para ajudá-lo e apoiá-lo, caso você fique doente durante a cobertura, levando em consideração a possibilidade de auto-isolamento e/ou de ficar em uma zona de quarentena/confinamento por um longo período

Bem-estar psicológico

● Seus familiares provavelmente ficarão preocupados e/ou estressados ​​se você planeja cobrir o surto de COVID-19. Converse com eles sobre os riscos e as preocupações deles. Se necessário, estabeleça uma conversa entre seus familiares e os consultores médicos da sua organização

● Considere o possível impacto psicológico de reportar de um local ou área afetada pelo COVID-19, especialmente se noticiando de instalações médicas, isolamento ou zona de quarentena. Um recurso útil para profissionais da mídia que cobrem situações traumáticas pode ser encontrado via DART Center for Journalism and Trauma [Centro DART para o Jornalismo e Trauma]

Evitando o contágio e contagiar outros

Muitos países estão praticando agora o distanciamento social e físico. Se estiver visitando um centro de saúde, uma casa de repouso para idosos, uma casa para pessoas doentes, um necrotério, uma zona de quarentena, uma área urbana com alta densidade populacional (uma favela, por exemplo), mercados de animais e/ou uma fazenda, informe-se com antecedência sobre as medidas de higiene existentes. Em caso de dúvida, não visite. As recomendações padrão para evitar a infecção incluem:

● Mantenha ao menos 2 metros de distância de outras pessoas, sobretudo das que apresentam sinais ou sintomas de doenças respiratórias, como tosse e espirros

● Os jornalistas devem ficar especialmente atentos a manter uma distância mínima segura ao entrevistar idosos, pessoas com problemas de saúde subjacentes, pessoas próximas a indivíduos sintomáticos, profissionais de saúde que tratam pacientes com COVID-19 ou trabalhadores que operam em locais de alto risco

Lave as mãos regularmente, de maneira adequada e completa, por pelo menos 20 segundos de cada vez, usando água quente e sabão. Seque as mãos de maneira apropriada. Um guia muito útil sobre como lavar e secar as mãos adequadamente pode ser encontrado no site da OMS

● Use gel ou lenços antibacterianos na falta de água quente e sabão, mas depois sempre lave as mãos com água quente e sabão o mais rápido possível. (O CDC recomenda o uso de desinfetantes para as mãos à base de álcool com mais de 60% de etanol ou 70% de isopropanol.) Não substitua uma rotina regular de lavagem das mãos por desinfetante para as mãos

● Sempre cubra a boca e o nariz ao tossir ou espirrar. Se você tossir ou espirrar em um lenço de papel, descarte-o imediatamente de maneira segura e apropriada e lembre-se de lavar bem as mãos depois

● Evite tocar seu rosto, nariz, boca, orelhas, etc., conforme destacado pela BBC

● Evite apertar as mãos, abraçar e/ou beijar. Em vez disso, opte por um toque de cotovelo ou perna

● Evite beber/comer usando xícaras, louças ou talheres que possam ter entrado em contato com outras pessoas

● Remova todas as joias e relógios antes de qualquer cobertura, observando que o vírus COVID-19 pode permanecer vivo em vários tipos de superfície por diferentes períodos de tempo

● Se você usa óculos, limpe-os cuidadosa e regularmente com água quente e sabão

● Considere quais roupas você vai usar, levando em conta que certos tecidos podem ser limpos com mais facilidade do que outros. Todas as roupas devem ser lavadas a alta temperatura com detergente após qualquer cobertura

● Considere o seu modo de transporte para ir e voltar da cobertura. Evite usar transporte público na hora do rush e use álcool gel nas mãos ao desembarcar do meio de transporte. Se estiver viajando em seu próprio veículo, saiba que um passageiro infectado pode transmitir o vírus para outros dentro do veículo

● Faça paradas regulares e esteja atento aos níveis de fadiga e energia, já que pessoas cansadas ​​têm maior probabilidade de cometer erros em sua higiene pessoal. Também leve em conta que as pessoas possam percorrer longas distâncias antes e depois do trabalho

● Sempre lave bem as mãos com água quente e sabão antes, durante e depois de sair da área afetada

● Se você apresentar sintomas, especialmente febre ou falta de ar, avalie como obter tratamento médico. A maioria dos órgãos de saúde governamentais agora recomendam a auto quarentena para evitar infecção de outras pessoas. Se estiver em uma área altamente infectada, provavelmente encontrará outros pacientes infectados com COVID-19 em centros de tratamento lotados, aumentando assim suas chances de exposição.

⦁ Consuma apenas carnes e ovos bem cozidos

Segurança do equipamento

● Use microfones telescópicos direcionais [‘fishpole’] a uma distância segura, em vez de microfones de lapela.

● As capas de esponja do microfone devem ser cuidadosamente lavadas e desinfetadas no final de cada cobertura. Procure orientação/treinamento sobre como remover a capa com segurança para evitar possível contaminação cruzada

● Sempre descontamine todos os equipamentos com lenços antimicrobianos de ação rápida, como o Meliseptol, seguido de desinfecção completa, incluindo, entre outros, telefones celulares, tabletes, cabos, plugues, fones de ouvido, laptops, discos rígidos, câmeras, crachás de imprensa e fitas de pescoço

● Assegure-se de que todo o equipamento seja descontaminado novamente ao devolvê-lo ao local usado como base, e que os responsáveis pelo equipamento fiquem cientes da condição em que estão e saibam como limpar os equipamentos com segurança. Certifique-se de que nenhum equipamento seja deixado e abandonado no local sem ser entregue diretamente à pessoa responsável pela limpeza

● Se você não tiver acesso a nenhum desinfetante, vale observar que a luz solar direta pode matar vírus. Portanto, na pior das hipóteses - e somente se você não tiver alternativas - exponha seu equipamento à luz solar direta por várias horas. Lembre-se de que isso pode descolorir ou danificar o equipamento

● Se estiver usando um veículo para a cobertura, assegure-se de que uma equipe devidamente treinada limpe completamente o interior. Atenção especial deve ser dada às maçanetas das portas, volante, espelhos retrovisores, apoios de cabeça, cintos de segurança, painel de instrumentos e travas, botões ou abaixador de janelas

Equipamento de Proteção Pessoal EPI (PPE, na sigla em inglês)

Colocar e retirar com segurança qualquer EPI (como luvas descartáveis, máscaras faciais, aventais de proteção e coberturas descartáveis de sapatos) requer a estrita observância e adesão às melhores práticas de segurança. Clique aqui para obter orientações gerais do CDC. O risco de contaminação cruzada é alto, portanto, não seja complacente com essas medidas.

● Se estiver trabalhando em um local afetado, como um centro de saúde ou necrotério, talvez seja necessário usar calçados descartáveis ​​ou usar protetores impermeáveis, que devem ser limpos e enxaguados assim que você sair do local. Se usar protetores à prova d’água, eles devem ser descartados de maneira segura antes de sair do local e nunca devem ser reutilizados

● Use luvas de proteção se estiver trabalhando ou visitando um local infectado, como uma instalação de tratamento médico. Também podem ser necessários outros EPIs médicos, como um traje corporal e uma máscara facial completa

Máscaras Faciais

Atualmente, o CDC e a OMS concordam que não é necessário que pessoas sem sintomas usem máscaras faciais, a menos que as autoridades locais as instruam; que você esteja em uma área de alto risco, como um hospital; ou cuidando de uma pessoa com suspeita de infecção por COVID-19. Observe que em muitos países há poucos EPIs, portanto, o uso desse equipamento pode causar escassez. Se você usar uma máscara, siga os seguintes conselhos:

● Se necessário, use uma máscara N95 (ou FFP2/FFP3) que é a recomendada em vez de uma máscara "cirúrgica" padrão. Verifique se a máscara se encaixa com segurança sobre a ponte do nariz e o queixo, minimizando as lacunas no ajuste. Assegure-se que os pelos faciais sejam removidos e os mantenha assim

● Evite tocar na máscara e remova-a usando apenas as tiras. Nunca mexa na parte frontal

● Sempre lave as mãos com sabão e água quente ou com um desinfetante para as mãos à base de álcool (superior a 60% de etanol ou 70% de isopropanol) após remover a máscara

● Substitua a máscara por uma nova, limpa e seca, assim que ficar úmida

● Nunca reutilize máscaras e sempre descarte imediatamente as usadas em um saco selado

● Lembre-se de que o uso de uma máscara é apenas uma parte da proteção pessoal, que deve ser acompanhada pela lavagem regular das mãos com água quente e sabão e evitando tocar o rosto, incluindo olhos, boca, ouvidos e nariz

● Máscaras de algodão/gaze não são recomendadas em qualquer circunstância

● Esteja ciente de que as máscaras faciais podem estar em falta e/ou sujeitas a fortes aumentos de preço, dependendo do local

Segurança digital

● Esteja ciente de que jornalistas podem estar sujeitos a níveis crescentes de hostilidade on-line em relação a reportagens sobre o surto de COVID-19. Revise as práticas recomendadas pelo CPJ para se proteger de ataques

● Governos e empresas de tecnologia estão usando cada vez mais a vigilância como uma maneira de rastrear a disseminação do COVID-19. Isso inclui o NSO Group, que criou o Pegasus, um spyware que tem sido direcionado a jornalistas, de acordo com o Citizen Lab. Grupos de liberdades civis estão ficando preocupados com o modo como essas técnicas de vigilância serão usadas para rastrear pessoas após o término desta crise de saúde. A Transparency International está acompanhando esses desenvolvimentos globais em seu site

● Pare um pouco e pense antes de clicar em links ou baixar documentos contendo informações sobre o COVID-19. Os criminosos estão aproveitando a atual crise de saúde e pânico para atingir pessoas e organizações com ataques sofisticados de phishing que podem levar à instalação de malware em seus dispositivos, de acordo com a Electronic Frontier Foundation

● Tenha cuidado ao clicar em qualquer link relacionado ao COVID-19 nas redes sociais, alguns dos quais podem direcionar você a sites que infectam dispositivos com malware

● Fique atento a aplicativos maliciosos que se dirigem a pessoas para obter ransomware, como o COVID-19 Tracker

● Há relatos de que mapas que mostram informações atualizadas sobre COVID-19 baseados em fontes respeitáveis, como a OMS, contêm malware que pode ser usado para roubar senhas

● Esteja ciente das desinformações patrocinadas pelo Estado, conforme relatado pelo The Guardian, bem como das desinformações gerais, algo sobre o qual a OMS alertou especificamente e que a BBC destacou. Um guia que desmascara mitos e boatos sobre o COVID-19 está disponível no site da OMS

● Cuidado com as informações sobre o COVID-19 compartilhadas por meio de bate-papos em aplicativos de mensagens, que podem conter notícias falsas e boatos

● Esteja ciente de que o conteúdo do COVID-19 no Facebook agora está sendo moderado por inteligência artificial (IA) em vez de verificadores humanos de conteúdo, o que fez com que um conteúdo legítimo sobre a doença fosse removido por engano.

● Fique atento aos riscos decorrentes de informar sobre ou em países com regimes autoritários, que provavelmente estarão monitorando de perto a cobertura do surto de COVID-19. Certos governos podem tentar ocultar a extensão de qualquer surto e/ou censurar a mídia, conforme destacado pelo CPJ

Segurança física durante a Cobertura

● Se reportarem de uma prisão ou centro de detenção, os jornalistas devem estar alertas aos perigos apresentados por reclusos que protestam e/ou tumultos em relação ao surto do COVID-19, como se viu recentemente na Itália, Colômbia, e Índia

● Esteja ciente de um possível aumento nos níveis de criminalidade, observando que países como E.U.A., Irlanda, Palestina e Irã , começaram a libertar presidiários para aliviar a população carcerária durante a epidemia de COVID-19. Observe que os suprimentos podem começar a diminuir, aumentando as chances de saques e assaltos.

● Jornalistas em países com regime autoritário devem estar atentos ao risco de detenção e/ou prisão ao noticiar sobre a epidemia provocada pelo COVID-19, conforme ressaltado pelo CPJ

● Se você conseguir viajar para uma cobertura internacional (veja abaixo), pesquise a mais recente situação de segurança em seu destino. Até o momento, houve incidentes violentos isolados em Israel, Brasil, Paquistão, Chipre, Ilha da Reunião, e Ucrânia. Os protestos em andamento no Iraque e Hong Kong foram por vezes exacerbados pela endemia de COVID-19

Cobertura de viagens internacionais

Devido a restrições globais de viagens, os deslocamentos aéreos internacionais são agora extremamente problemáticos e cada vez mais raros. Se uma cobertura no exterior for possível, considere o seguinte:

● Assegure-se de que todas as vacinas e profilaxias relevantes estão atualizadas para o seu destino. Considere tomar a vacina contra a gripe para evitar confusão sobre sintomas que você possa apresentar

● Confira a sua apólice de seguro de viagem. Alguns governos emitiram níveis variados de recomendações e alertas de viagem contra o deslocamento para um número crescente de países. Entre eles, o Ministério Britânico de Relações Exteriores e da Commonwealth, o Departamento de Estado dos EUA e o de Ministério das Relações Exteriores francês. Esteja ciente de que a obtenção de cobertura para viagens relacionadas ao COVID-19 pode não ser possível daqui para frente.

● Observe regularmente o status de um evento do qual planeje participar, levando em conta que vários países proibiram reuniões públicas acima de um certo número de pessoas

● Verifique as proibições de viagem existentes e/ou futuras para o destino pretendido. Proibições e/ou restrições adicionais para estrangeiros provavelmente aumentarão em nível global daqui para frente

● Garanta que você tenha um plano de contingência, levando em consideração que os centros urbanos, regiões específicas e/ou países inteiros podem ser isolados e colocados em quarentena sem aviso prévio. Algumas organizações e empregadores aumentaram o nível de preparo para evacuação de seu pessoal em qualquer parte do mundo

● Muitas fronteiras terrestres fecharam em todo o mundo. É provável que haja outros casos, algo que deve ser levado em consideração em seu planejamento de contingência

● Não viaje se estiver doente. A maioria dos aeroportos internacionais e regionais, bem como outros centros de transporte, implementaram rigorosas medidas de rastreamento de saúde. Os viajantes provavelmente enfrentarão testes médicos, quarentena forçada ou isolamento na chegada

● As opções globais de viagens reduziram-se enormemente devido ao cancelamento de voos de companhias aéreas para e de muitos destinos. É provável que haja mais cancelamentos com o aumento de casos de COVID-19

● É aconselhável comprar passagens aéreas totalmente reembolsáveis. O COVID-19 está causando problemas financeiros significativos para muitas companhias aéreas, de acordo com a IATA, e teria contribuído para o recente colapso da maior companhia aérea regional da Europa, a FlyBe

● Avalie quais suprimentos você pode precisar levar consigo. Houve relatos de escassez de certos itens, além de incidentes de compras motivadas pelo pânico, incluindo a de máscaras, desinfetantes para as mãos, sabão, alimentos enlatados e papel higiênico. Observe que greves e / ou escassez de trabalhadores devido a infecções por COVID-19 podem agravar a situação no seu destino

● Esteja ciente de que países com suprimento limitado de água, como a Jordânia, podem começar a ter um aumento de demanda e de escassez

● Confirme a situação mais recente do visto necessário para o seu destino, observando que vários países suspenderam vistos que já haviam sido emitidos para viagens.

● Verifique se o seu país de destino exige um atestado médico para provar que você não tem COVID-19. Alguns exemplos podem ser vistos aqui

● Certifique-se de ter itinerários flexíveis e inclua tempo adicional nos aeroportos ao redor do mundo, levando em conta as medidas de triagem de saúde e os pontos de verificação de temperatura. O mesmo se aplica a algumas estações ferroviárias, portos/docas e estações de ônibus de longo percurso

● Mantenha-se atualizado sobre qualquer alteração no seu ponto de chegada, observando que determinados países só permitem a entrada de estrangeiros em determinados aeroportos e terminais

● Monitore continuamente as fontes locais em busca de notícias sobre qualquer restrição de movimento no centro da cidade no país que você está visitando

Pós-Cobertura

● Monitore continuamente sua saúde e fique atento a sinais de sintomas

● Se você estiver voltando de um local com uma alta taxa de infecção, é quase certo que vai precisar se auto-isolar. Verifique os conselhos governamentais relevantes

● Monitore as atualizações e informações mais recentes sobre o COVID-19, bem como quaisquer procedimentos de quarentena e isolamento praticados na sua origem e no seu destino

● Dependendo da taxa de infecção no país em que você esteve, considere manter um diário com nomes/números de pessoas com quem você manteve contato próximo nos 14 dias após o seu retorno. Isso ajudará no rastreamento de seus contatos, se você começar a mostrar sintomas

--Se você apresentar sintomas

● Se você desenvolver ou tiver sintomas do COVID-19, por mais leves que sejam, informe a equipe de gerenciamento da cobertura, para que providenciem transporte apropriado do aeroporto ou outro centro de transporte para sua casa. Não entre simplesmente em um taxi qualquer.

● Siga os conselhos da OMS, do CDC, ou das autoridades locais de saúde para proteger você e sua comunidade

● Não saia de casa por pelo menos sete dias a partir do início dos sintomas. Fazendo isso, ajudará a proteger outras pessoas da sua comunidade enquanto estiver infectado

● Planeje com antecedência e peça ajuda a outras pessoas. Peça ao seu empregador, amigos e familiares para obter os suprimentos necessários e deixá-los do lado de fora da porta de sua residência

● Fique a pelo menos 2 metros de distância de outras pessoas dentro de casa sempre que possível

● Durma sozinho, se possível

● Se compartilhar acomodações com outras pessoas, observe um período de isolamento de 14 dias para todos. Um guia útil para isso pode ser encontrado aqui. É necessário tomar cuidado especial ao usar o banheiro, o vaso sanitário e as instalações da cozinha, para evitar contaminação cruzada

● Lave as mãos regularmente e com cuidado por pelo menos 20 segundos, usando sabão e água quente

● Fique longe de pessoas vulneráveis, como idosos e pessoas com condições de saúde subjacentes, sempre que possível

● Não há necessidade de ligar para as autoridades de saúde do seu país para se auto-isolar, a menos que seus sintomas piorem visivelmente durante o período de isolamento

O Kit de Segurança on-line do CPJ fornece, aos jornalistas e redações, informações básicas de segurança sobre recursos e ferramentas de segurança física, digital e psicológica, incluindo a cobertura de distúrbios civis e eleições.

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho