Notícias   |   Brasil

Jornalista brasileiro de rádio e televisão assassinado a tiros

Nova York, 11 abril de 2011--As autoridades brasileiras devem realizar uma investigação completa sobre o assassinato do jornalista de rádio e televisão Luciano Leitão Pedrosa, afirmou hoje o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ). Pedrosa, conhecido por sua cobertura crítica de autoridades locais e grupos criminosos, foi baleado na noite de sábado em um restaurante em Vitório de Santo Antão, no estado de Pernambuco, no nordeste do país, de acordo com as informações da imprensa.

Por volta das 21h00, um homem entrou no restaurante onde Pedrosa estava e atirou em sua cabeça, informou a imprensa brasileira. Segundo o Diário de Pernambuco, o indivíduo disparou quatro vezes contra Pedrosa, mas apenas uma bala o atingiu, matando o jornalista imediatamente. O pistoleiro fugiu em uma moto dirigida por uma pessoa que o esperava do lado de fora do restaurante, noticiou a imprensa.

Pedrosa, de 46 anos, apresentava o programa "Ação e Cidadania" na TV Vitória há sete anos e também trabalhava para a rádio Metropolitana FM. Segundo as informações da imprensa, Pedrosa era conhecido por sua cobertura crítica de grupos criminosos e autoridades municipais. O diário Jornal do Commercio de Pernambuco informou que Pedrosa havia recebido várias ameaças, mas nunca havia prestado queixa. O jornal não especificou o tipo de ameaças recebidas pelo radialista.

"Instamos as autoridades brasileiras a realizar uma investigação rápida e completa sobre o brutal assassinato de Luciano Pedrosa e a considerar seu trabalho informativo como possível motivo", declarou Carlos Lauría, coordenador sênior do programa das Américas do CPJ. "As autoridades devem garantir que os responsáveis pelo crime sejam processados e que os jornalistas críticos possam trabalhar sem temer por suas vidas".

O motivo do assassinato ainda não foi estabelecido, destacou a imprensa local. Segundo a delegada Maria Bethânia Tavares, no momento do ataque o agressor anunciou que se tratava de um assalto, de acordo com as informações da imprensa. Entretanto, Tavares disse que vínculos com seu trabalho informativo não haviam sido descartados, dada a natureza crítica dos programas de Pedrosa. O jornalista era um duro crítico do governo municipal, uma terceira linha que está sendo investigada, informou o Diário de Pernambuco.

O assassinato de Pedrosa foi o segundo ataque a tiros contra um jornalista brasileiro documentado este ano pelo CPJ. No final de março, o crítico blogueiro Ricardo Gama foi gravemente ferido na cabeça, pescoço e peito quando um pistoleiro o alvejou enquanto ele caminhava por sua vizinhança no Rio de Janeiro.

Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho