Sétimo jornalista hondurenho assassinado desde março

Nova York, 15 de junho de 2010 – Um agressor não identificado matou a tiros o jornalista de TV Arturo Mondragón na noite de segunda-feira na cidade de El Paraíso, no leste de Honduras, segundo informes da imprensa local. O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) instou hoje as autoridades hondurenhas a investigar minuciosamente o crime de Mondragón, o sétimo jornalista assassinado no país somente este ano. 

Mondragón, de 53 anos, proprietário e diretor de notícias da televisão a cabo Canal 19, foi baleado quando saía do trabalho por volta das 22h00 em El Paraíso, perto da fronteira com a Nicarágua. Um porta-voz da polícia citado pelo jornal La Prensa de Tegucigalpa afirmou que o Mondragón foi atingido por quatro tiros. O jornalista morreu no local, segundo a imprensa.

Em seu programa, Mondragón informava sobre acontecimentos locais, incluindo corrupção governamental, problemas ambientais e sobre criminalidade.

Um parente de Mondragón, que conversou com o CPJ sob a condição de manter o anonimato, disse que o jornalista havia recebido ameaças anônimas por telefone nos últimos dois anos.  O familiar do repórter afirmou que apesar de estarem relacionadas com seu trabalho jornalístico, as ameaças não faziam referência a uma informação específica. A polícia não identificou nenhum suspeito, nem divulgou possíveis motivos por trás do crime, afirmou ao CPJ Said Alexander Espinel, funcionário do Ministério Público no departamento [estado] de El Paraíso.

“Luis Arturo Mondragón é o sétimo jornalista assassinado em Honduras este ano”, disse Carlos Lauría, coordenador sênior do programa das Américas do CPJ. “Isto é realmente alarmante. As autoridades somente enviarão a mensagem de que esses ataques não ficarão impunes quando os responsáveis por estes crimes forem a julgamento”.

Em 20 de abril, o jornalista de televisão Jorge ‘Georgino’ Orellana foi assassinado por um desconhecido armado na cidade de San Pedro Sula. Agressores não identificados balearam os jornalistas José Bayardo Mairena e Manuel Juárez no departamento de Olancho em 27 de março. Em 14 de março, o jornalista Nahúm Palacios Arteaga foi morto na cidade de Tocoa, e o jornalista de rádio David Meza foi vítima de homicídio na cidade de La Ceiba em 11 de março. Em 1º de março, o repórter Joseph Hernández Ochoa foi assassinado em Tegucigalpa, em um tiroteio que deixou outra jornalista gravemente ferida.

O CPJ está investigando para determinar se estes crimes estão vinculados ao trabalho dos jornalistas. 

15 de junho de 2010, 10:24 AM ET |
Tamanho do texto
A   A   A
Ferramentas

   

Print Imprimir

Share Compartilhar

Mais sobre