Notícias   |   República Dominicana

Jornalista seqüestrado

Nova York, 9 de março de 2006 – O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) condena o seqüestro e tentativa de assassinato, na manhã de quarta-feira, de um jornalista dominicano que cobre a área de polícia. Agressores desconhecidos levaram Roberto Sandoval de frente de sua casa, em Santo Domingo, e o ameaçaram de morte, segundo informaram a imprensa local e uma fonte do CPJ. Sandoval conseguiu escapar saltando do carro em movimento, enquanto seus agressores atiravam contra ele.

O jornalista é apresentador de dois programas diários em Santo Domingo: “Tribuna de la Noche”, na Rádio Comercial e “Justo a Tiempo” em uma televisão a cabo local. Sandoval informa freqüentemente sobre a delinqüência e é crítico às autoridades dominicanas, disse ao CPJ seu colega Ruddy Germán Pérez.

Por volta das duas e meia da manhã de quarta-feira, quando Sandoval regressava da cidade de Santiago, ao norte, três homens armados cercaram seu carro e o obrigaram a entrar em outro veículo, informou a imprensa local. Um dos agressores fugiu no automóvel de Sandoval, enquanto os outros dois o levaram para uma área rural a 40 quilômetros ao norte da capital.

Sandoval saltou do veículo quando o motorista mandou que seu cúmplice atirasse no jornalista, detalhou a imprensa dominicana. Uma das balas passou de raspão pelas costas de Sandoval, que sofreu ferimentos leves. Os agressores o procuraram, mas ele se escondeu em uma região de floresta até que fugissem, informou a imprensa local.

Germán contou ao CPJ que Sandoval denunciou o ataque à polícia, que abriu uma investigação. O jornalista e sua família abandonaram temporariamente sua residência.

“Estamos profundamente consternados pelo ataque contra Roberto Sandoval”, disse a diretora-executiva do CPJ, Ann Cooper. “Instamos as autoridades dominicanas a investigar rigorosamente o ataque e a levar à justiça os responsáveis”.

Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho