Notícias   |   República Dominicana

Jornalista assassinado em emboscada após programa sobre onda de crimes

Nova York, 16 de setembro de 2004 – Um jornalista dominicano foi emboscado e assassinado por pistoleiros esta semana, momento depois de um programa de rádio no qual informou sobre a sangrenta onda de crimes que tem contraposto integrantes de uma quadrilha criminosa e a polícia no município meridional de Azua, de acordo com informes da imprensa local.

Juan Emilio Andújar Matos, apresentador do programa semanal "Encuentro Mil 60", transmitido pela rádio Azua, e correspondente do matutino de Santo Domingo Listín Diario, foi assassinado em um ataque em 14 de setembro. Jorge Luis Sención, um jornalista de rádio que presenciou o ataque, foi baleado mais tarde e perdeu o antebraço direito que precisou ser amputado.

"Estamos indignados e entristecidos pelo assassinato de Juan Andújar", assinalou a diretora-executiva do CPJ, Ann Cooper. "Instamos as autoridades dominicanas a investigar a fundo este brutal ataque e a apresentar à justiça os responsáveis".

O ataque ocorreu em meio a uma onda de delinqüência em Azua, localizada a 120 quilômetros da capital, Santo Domingo. Vários jornalistas dominicanos que têm informado sobre a onda de violência foram ameaçados de morte e estão recebendo proteção policial, de acordo com informes jornalísticos.

Andújar saiu da rádio por volta das 9h40 da manhã com seu colega Juan Sanches, correspondente dos matutinos de Santo Domingo El Nacional e Hoy. Durante o programa, os jornalistas haviam comentado a morte nessa mesma manhã de quatro integrantes da quadrilha criminosa durante um enfrentamento a balas com a polícia, de acordo com informes da imprensa. Andújar e Sánchez, assim como outros jornalistas de Azua, haviam recebido ameaças de morte por seus comentários sobre a onda de violência.

Quando os jornalistas se preparavam para sair em suas motocicletas, dois motoqueiros dispararam contra eles e acertaram uma bala na cabeça de Andújar, enquanto Sánchez se refugiava num posto do corpo de bombeiros próximo, informou a imprensa dominicana. Andújar morreu uma hora e meia depois, em um hospital local.

Sención, um jornalista da Radio Enriquillo, no município de Tamayo, presenciou a emboscada e tentou socorrer Andújar imediatamente após o fato, de acordo com a imprensa local. Mais tarde, nessa mesma manhã, enquanto estava com sua esposa grávida, Sención foi emboscado pelos mesmos pistoleiros. Permaneceu hospitalizado sob estritas medidas de segurança.

Os jornalistas de Azua, Domingo Corcino, Héctor Camaño, Narciso Martínez, Christian Daniel Ramírez, Rafael Vargas e Juan Sánchez também receberam ameaças e estão recebendo proteção policial local, informou o Listín Diario.

As autoridades dominicanas em Santo Domingo despacharam o que foi descrito como uma unidade policial de elite e dois helicópteros para patrulhar Azua. Um dos agressores suspeitos foi morto pela polícia em tiroteio ocorrido ontem; o outro delinqüente ainda não havia sido capturado.

Andújar, um jornalista respeitado com mais de 20 anos de experiência, também era professor da Universidade Tecnológica de Azua e presidente de uma organização ambientalista. Uma colega informou que tinha 49 anos.



FIN


Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho