Notas de Segurança

Preparação básica: Avaliação de risco

Também disponível em English, Français, Español

Arte: Jack Forbes

As decisões tomadas pelos jornalistas em campo têm influência direta na sua segurança e na dos outros. Os riscos inerentes à cobertura de guerra, agitação política e criminalidade nunca podem ser eliminados, mas o planejamento cuidadoso e a avaliação de risco podem atenuar os perigos.

Avaliações de risco escritas devem documentar os perigos aos quais um jornalista pode estar exposto, avaliar como atenuar esses riscos e incluir um plano de contingência. Se feita corretamente, uma avaliação de risco serve não apenas a jornalistas, mas a qualquer pessoa indicada para ajudá-lo se algo der errado. Ela deve ser preparada para qualquer pauta potencialmente perigosa e revisada frequentemente. Cada avaliação deve ser adaptada a uma situação particular.

Os riscos a identificar podem incluir:

  • Riscos do campo de batalha em zonas de conflito, como fogo de armas pequenas, bombardeio aéreo, fogo de artilharia, minas terrestres, armadilhas e artefatos explosivos não detonados.
  • Ataques terroristas, como bombas suicidas, atiradores, agressões a facas, ataques com veículos, cercos, ou ações terroristas dirigidas diretamente aos jornalistas.
  • Sequestro por resgate ou por objetivos políticos.
  • Tumulto na multidão, incluindo gás lacrimogêneo, projéteis, balas de borracha, cercos policiais, ataques de grupos ou agressão sexual.
  • Risco criminal, como pequenos crimes ou assaltos violentos.
  • Segurança digital, incluindo riscos à segurança de dados ou proteção de fontes.
  • Intimidação do governo ou de atores não estatais.
  • Ameaças de longo prazo ao jornalista, bem como a fontes, colaboradores e equipe local (auxiliares / motoristas).
  • Fatores ambientais e de saúde, como os desastres naturais ou requisitos de vacinação.

Uma avaliação de risco deve levar em consideração:

  • A capacidade médica da equipe.
  • Qualquer treinamento necessário para uma implementação específica. É crucial o treinamento adequado e atualizado em primeiros socorros e em ambiente hostil.
  • Um mapa e plano de evacuação claros e detalhados, acordados previamente ou à chegada.
  • Equipamentos, especialmente os de proteção individual.
  • Uma infraestrutura de comunicação bem estabelecida que inclua um check-in claro e apropriado, um ponto de contato e um procedimento de chamada de emergência.
  • Cobertura de seguro apropriada adaptada ao nível de risco. A apólice deve ser compartilhada com seu ponto de contato ou parente próximo.

Para informações adicionais e modelos de avaliação de risco, visite o Centro de Recursos do CPJ.

Mais sobre
Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho