dezembro 2017

Notícias   |   Colombia

Prefeito colombiano ameaça e dispara contra jornalista local

Uma visão de Bogotá, capital da Colômbia, em 3 de setembro de 2017. O prefeito de uma pequena cidade na Colômbia ameaçou um jornalista e disparou contra ele, informou o repórter ao CPJ. (Reuters / Henry Romero)

Bogotá, Colômbia, 19 de dezembro de 2017 - As autoridades colombianas devem suspender imediatamente o prefeito de uma cidade no norte da Colômbia e realizar uma investigação rápida e confiável sobre os relatos de que ele ameaçou e atirou em um jornalista de uma rádio local, disse hoje o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ).

dezembro 21, 2017 2:02 PM ET

Também disponível em
English, Español

Relatórios

Na ausência de um novo conflito militar, os assassinatos de jornalistas diminuem

Um colega da repórter iraquiana Shifa Gardi acende uma vela em uma vigília para ela na redação da Rudaw TV em Erbil. O Iraque foi o país mais letal para jornalistas em 2017. (AFP / Safin Hamed)

Pelo menos 42 jornalistas foram mortos na linha de frente em 2017, representando o segundo declínio consecutivo do número de casos recorde no início desta década. Menos jornalistas morreram cobrindo conflitos no Oriente Médio e o número de jornalistas assassinados em represália por suas reportagens diminuiu, exceto no México. Um relatório especial do CPJ por Elana Beiser

dezembro 21, 2017 12:00 AM ET

Tags:

Letras   |   Guatemala

O CPJ pede que a procuradora-geral da Guatemala liberte imediatamente e retire todas as acusações contra Jerson Antonio Xitumul Morales

À Excelentíssima Thelma Aldana Ministério Público15 avenida 15-16 Zona 1, Edificio Gerona 8º Nivel Ciudad de Guatemala, 01001 Guatemala 12 de dezembro de 2017 Por e-mail: [email protected] Excelentíssima Procuradora-Geral Thelma Aldana, O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), uma organização independente de liberdade de imprensa, pede que V. Ex.ª...

dezembro 19, 2017 12:46 PM ET

Também disponível em
English, Español

Relatórios

Número recorde de jornalistas presos com Turquia, China e Egito pagando um baixo preço pela repressão

Jornalistas e manifestantes mantêm cartazes do lado de fora de um tribunal de Istambul em 31 de outubro de 2017, pedindo a libertação de colegas encarcerados, incluindo o repórter turco Ahmet Şık. A Turquia é o pior carcereiro de jornalistas de 2017. (AP / Lefteris Pitarakis)

Pelo segundo ano consecutivo, o número de jornalistas aprisionados por seu trabalho atingiu um nível histórico, já que os EUA e outras potências ocidentais não pressionaram os piores carcereiros do mundo - Turquia, China e Egito - para melhorar o atual clima sombrio para a liberdade de imprensa. Um relatório especial do CPJ por Elana Beiser

dezembro 13, 2017 12:00 AM ET

Também disponível em
English, العربية, 中文, Français, Русский, Español

Tags: