DECLARAÇÕES , Peru

Indivíduos atacam jornalista peruano e tentam cortar sua língua

Também disponível em English, Español

Nova York, 8 de fevereiro de 2017 - As autoridades peruanas devem processar rapidamente todos os responsáveis pelo brutal ataque contra o jornalista de rádio e televisão Marco Bonifacio Sánchez, declarou hoje o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ). Indivíduos não identificados tentaram cortar a língua do jornalista quando este retornava para sua casa na cidade nortista peruana de Cajamarca, na noite de 3 de fevereiro, relataram ao CPJ colegas e amigos do jornalista.

Bonifacio, apresentador do programa de rádio e televisão "El Canillita", transmitido pela Turbo Mix Radio e Televisão, está hospitalizado com lesões na boca, segundo informações da imprensa e de amigos e colegas de Bonifacio. Uma amiga próxima do jornalista, que pediu anonimato por temor a represálias, explicou ao CPJ que o jornalista caminhava para casa acompanhado de alguns amigos quando indivíduos não identificados o agrediram e tentaram cortar sua língua. A amiga de Bonifacio, que foi vê-lo no hospital, contou ao CPJ que as lesões sofridas pelo jornalista na boca tornam difícil para ele falar ao telefone.

"As autoridades peruanas devem processar rapidamente todos os responsáveis pelo horrível ataque contra Marco Bonifacio Sánchez", declarou o coordenador sênior do programa das Américas do CPJ, Carlos Lauría. "A impunidade nos casos de ataques contra os jornalistas mina a capacidade dos meios noticiosos peruanos de exercer sua função informativa com liberdade".

A amiga de Bonifacio ressaltou que o jornalista havia sido agredido anteriormente pelo menos outras quatro vezes, em um período que abrange os últimos três anos, e que acreditava que os ataques estavam vinculados com o trabalho jornalístico de Bonifacio.

O CPJ tentou comunicar-se por telefone com a delegacia de polícia de Cajamarca, mas seus telefonemas não foram respondidos.

Bonifacio frequentemente entrevistava os residentes locais sobre os problemas que enfrentavam - por exemplo, dificuldades para conseguir medicamentos ou receber serviços governamentais- e tentava ajudar a resolver esses problemas, segundo companheiros da emissora de rádio. Era conhecido por seu estilo polêmico e suas críticas às autoridades e instituições locais, declarou ao CPJ Ronal Tiper, diretor de imprensa do grupo Turbo Mix.

Tiper ressaltou que o jornalista havia recebido várias ameaças durante o passar dos anos. Também contou que Bonifacio havia recebido uma carta com ameaças cerca de 18 meses antes do ataque, sem entrar em detalhes sobre o conteúdo, mas afirmou que não conseguia se lembrar de nenhuma outra ameaça mais recente.

Bonifacio também concorreu como candidato à prefeitura de Cajamarca em 2014, segundo colegas e reportagens da época.

Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho