DECLARAÇÕES , México

Jornalista da editoria de polícia é sequestrada em Veracruz

Também disponível em English, Español

Nova York, 8 de fevereiro de 2016 - O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) está preocupado com a segurança de Anabel Flores Salazar, jornalista da editoria de polícia que foi sequestrada de sua casa em Orizaba, no estado de Veracruz, às duas da madrugada de hoje por homens armados que diziam ter uma ordem judicial para a sua prisão, segundo informações da imprensa. A Procuradoria-Geral do estado divulgou uma declaração dizendo que está investigando o desaparecimento.

"Estamos comovidos com este sequestro e instamos as autoridades mexicanas a fazer tudo em seu poder para localizar Anabel Flores Salazar e trazê-la para um local seguro", afirmou o coordenador sênior do Programa das Américas do CPJ, Carlos Lauría. "Veracruz se converteu em uma das regiões mais perigosas para a imprensa em todo o mundo, onde se limitam os direitos dos cidadãos de ter aceso à informação vital sobre a criminalidade e a corrupção. O governo federal do México deve pôr um fim a este ciclo interminável de violência e processar os autores deste crime".

Flores Salazar cobria criminalidade e a editoria policial para o jornal El Sol de Orizaba e colaborava com o El Buen Tono e El Mundo de Orizaba. El Sol de Orizaba, jornal para o qual trabalha, disse ao CPJ que o desaparecimento da repórter está sendo investigado. Veracruz é um dos estados mais perigosos para o jornalismo no México. Dos 11 jornalistas mortos por seu trabalho no México desde 2011, seis foram assassinados ou haviam informado no estado, segundo a pesquisa do CPJ. O CPJ continua investigando o homicídio de ao menos sete outros jornalistas no estado.

Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho