DECLARAÇÕES

Autoridades brasileiras devem garantir a segurança dos jornalistas que cobrem os protestos da Copa do Mundo

Também disponível em English

Nova York, 12 de junho de 2014 - O Comitê para a Proteção dos Jornalistas está preocupado com os relatos de que três jornalistas foram feridos hoje quando cobriam protestos contra a Copa do Mundo em São Paulo. A produtora da CNN Barbara Arvanitidis procurou tratamento hospitalar por uma lesão no braço e a correspondente da CNN Shasta Darlington e o cinegrafista do Sistema Brasileiro de Televisão Douglas Barbieri ficaram levemente feridos por bombas de efeito moral lançadas pelas autoridades para dispersar os protestos, segundo reportagens da imprensa e declarações de jornalistas da CNN no Twitter.

"Este é um começo preocupante para a Copa do Mundo", disse o subdiretor do CPJ, Robert Mahoney. "Depois de um ano de protestos e dezenas de jornalistas atacados e detidos, a presidente Dilma Rousseff prometeu tomar medidas para garantir a segurança dos repórteres que cobrem o torneio. Seu governo, agora, deve seguir com esses compromissos."

Esta semana, o CPJ lançou a versão em português do seu Manual de Segurança para Jornalistas, que inclui práticas de segurança para os jornalistas. O CPJ se reuniu com Dilma Rousseff em 6 de maio para discutir o seu relatório sobre o clima para a liberdade de imprensa no Brasil.

Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho