Notícias   |   Peru

Detonam bomba na entrada da casa de um jornalista peruano

Também disponível em English, Español

Bogotá, 24 de abril de 2014 - O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) condena o atentado ocorrido na terça-feira na residência do jornalista peruano Yofré López Sifuentes e insta as autoridades a realizar uma investigação completa e processar os responsáveis. López saiu ileso da explosão de uma bomba, mas seus pais ficaram feridos, segundo as informações da imprensa.

"Frequentemente os jornalistas peruanos que investigam corrupção são alvo de ataques", declarou em Nova York o coordenador sênior do programa das Américas do CPJ, Carlos Lauría. "As autoridades devem investigar de forma completa o motivo do atentado, inclusive a possibilidade de que haja um elemento político, e garantir que os jornalistas e suas famílias não devam temer atos de violência em represália por informar sobre questões sensíveis".

López é fundador e diretor do jornal e do site Barranca e apresentador do programa de notícias "Toque de Queda" transmitido pela Rádio Santana, em Barranca, cidade portuária do Pacífico, ao norte de Lima, a capital. Em sua publicação impressa, no site e na rádio, López frequentemente tem denunciado a empresa açucareira Agroindustrial Paramonga, com sede em Barranca, por supostos atos de contaminação, evasão fiscal, e outras violações. Em 2012, López produziu um documentário dobre os supostos danos ambientais e efeitos nocivos para a saúde provocados pelas operações da empresa açucareira.

A Agroindustrial Paramonga, que nega ter cometido qualquer ato ilícito, processou o jornalista por difamação. Em setembro de 2012, um juiz de Barranca absolveu López da acusação. No ano passado, uma bomba destruiu parcialmente a casa de Alfredo Palacios, político de Barranca que também havia denunciado a contaminação ambiental provocada por empresas açucareiras locais, de acordo com informações da imprensa.

López também tem sido um acirrado crítico da gestão do prefeito de Barranca, Romel Ullilén, e recentemente denunciou seu governo por supostas irregularidades nas compras municipais com fundos públicos, segundo as informações da imprensa.

Imagens de vídeo de uma câmera de segurança mostram um indivíduo mascarado deixando um artefato explosivo na entrada da residência de López por volta das duas da madrugada. O artefato explodiu pouco depois e causou danos materiais na casa do jornalista e em outras 10 próximas. López declarou ao CPJ que seu pai não poderá andar por um mês devido aos ferimentos sofridos nas pernas e que soa mãe também sofreu ferimentos leves e cortes.

"Pensei que haviam arrombado a minha casa para nos matar", disse López à imprensa em Barranca. "Acredito que este atentado está relacionado ao trabalho jornalístico que realizamos. Aparentemente querem nos calar".

Os jornalistas e meios de comunicação que investigam a corrupção e o crime organizado no Peru são frequentemente alvo de atos de violência, segundo a pesquisa do CPJ. Em dezembro, indivíduos não identificados arremessaram um artefato explosivo contra a residência do jornalista Edvan Ríos Chanca, mas ninguém ficou ferido no atentado.

Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho