Cuba

PRINCIPAIS ACONTECIMENTOS:

» Dissidentes autorizados a viajar ao exterior pela primeira vez em décadas.

» Jornalista libertado após meses de prisão; detenções de curta duração continuam.

Para complementar as graduais reformas econômicas e políticas, Cuba fez uma pequena, mas principalmente simbólica, abertura no panorama de liberdade de imprensa em 2013, e o impacto para a mídia independente foi mínimo. Uma exceção foi a legislação facilitando regras de visto de saída que foi aprovada em 2012, mas implementada em 2013. A lei permitiu a blogueiros críticos e dissidentes políticos viajarem ao exterior pela primeira vez em décadas. Enquanto no exterior, a proeminente blogueira de oposição Yoani Sánchez anunciou planos para lançar uma publicação de notícias de base ampla após seu retorno a Cuba. Em janeiro, analistas internacionais detectaram atividade no muito aguardado projeto de cabo de fibra óptica, que é financiado pela Venezuela, mas a Internet de alta velocidade ainda não estava disponível para a maioria dos cubanos. No final do ano, o governo anunciou a abertura de 100 centros públicos de acesso à Internet, mas o conteúdo foi filtrado e a taxa horária é proibitivamente cara para a maioria dos cidadãos. Um jornalista foi libertado depois de passar sete meses de prisão por causa do sua reportagem. Embora nenhum jornalista tenha sido preso desde 1º de dezembro, o governo continuou a prática de detenções de curto prazo. Raúl Castro disse que iria renunciar à presidência em 2018, fixando uma data para o início de uma Cuba pós-Castro.



  • 19

    Forçados ao exílio
  • 14

    Recomendações rejeitadas
  • 7

    Meses de prisão
  • 2

    Viagens de blogueira ao exterior
 

Pelo menos 19 jornalistas foram obrigados a sair de Cuba desde 2008, segundo a pesquisa do CPJ. A vida no exílio tem sido marcada por desafios para os jornalistas. Vários dos jornalistas presos durante a repressão de 2003, conhecida como Primavera Negra, foram enviados para a Espanha como parte das negociações de libertação.

Oscar Espinosa Chepe, de 72 anos, um dos detidos Preto Primavera, morreu de causas naturais no exílio na Espanha.

Principais países de onde os jornalistas rumaram para o exílio, 2008-13:
exile_cuba_pt
 

Cuba aceitou a maioria das 292 recomendações que recebeu de Estados membros das Nações Unidas durante a Revisão Periódica Universal do país, mas rejeitou pelo menos 14 recomendações relacionadas à liberdade de imprensa, liberdade de expressão, ou acesso à Internet.


Recomendações da RPU:

292

recomendações feitas pelos Estados membros das Nações Unidas.

20

recomendações rejeitadas pelo governo cubano.

14

recomendações rejeitadas eram relacionadas à liberdade de imprensa, liberdade de expressão, ou acesso à Internet.

 

Calixto Ramón Martínez Arias, um jornalista da agência de notícias independente Centro de Información Hablemos Press, foi libertado da prisão em 10 de abril depois de ser mantido preso por quase sete meses por causa da cobertura de um carregamento de medicamentos e equipamentos que haviam sido danificados.

O CPJ não documentou jornalistas presos em Cuba no final de 2013.

Presos em Cuba ao longo do tempo:
 

Depois da eliminação dos regulamentos de visto de saída em 2012, a blogueira de oposição Yoani Sánchez foi autorizada a deixar o país por duas vezes em 2013, após a permissão ter sido negada pelo menos 20 vezes nos últimos dez anos. A viagem de Sanchez se encontra dentro de uma série de decisões tomadas pelo governo cubano que sugere a possibilidade de uma abertura maior, mas sem grandes medidas para promover a liberdade de imprensa, que estavam em evidência no final do ano.


Uma abertura possível?

Janeiro de 2013:

O canal latino-americano de notícias Telesur inicia a transmissão ao vivo em Cuba. O canal, financiado principalmente pela Venezuela, não é crítico do governo cubano, mas oferece uma visão mais ampla do mundo.

Março de 2013:

O jornal Granma, do Partido Comunista, publica uma rara entrevista com um diplomata dos EUA sobre questões de migração.

Junho de 2013:

O governo abre 118 centros públicos de internet para torná-la mais acessível aos cidadãos. Mas algumas páginas estão bloqueadas e a taxa cobrada nos centros é proibitiva para o cubano médio.

Setembro de 2013:

Um jornalista da mídia estatal dá uma entrevista em precedentes para a estação de rádio anti-Castro apoiada pelo governo EUA, Rádio Martí, e reconhece que a imprensa oficial cubana precisa evoluir.

Setembro de 2013:

Um grupo de blogueiros anuncia uma nova revista online chamada Blogosfera Cuba, que irá compilar várias colunas e imagens e que poderá ser baixada e distribuída entre as pessoas sem acesso à Internet.

Outubro de 2013:

Autoridades anunciam a nomeação de novos editores para os dois jornais mais importantes do país, dizendo ser parte de uma "renovação" do jornalismo cubano.
»
«
Cobertura Importante em 2013
 »
«







Ataques à Imprensa: Índice