Notícias   |   Peru

Dois homens condenados pelo assassinato de um jornalista


PERU:

Nova York, 18 de abril de 2008
—O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) saúda a condenação de dois homens pelo assassinato, em março de 2007, do jornalista Miguel Pérez Julca, determinada na quarta-feira por um tribunal peruano.

A Sala Mista de Jaén, cidade no noroeste do Peru, condenou Juan Hurtado Vásquez pela autoria intelectual do assassinato de Pérez e Nazario Coronel Ramírez, também conhecido como “Chamaya”, por cumplicidade no crime, segundo informes da imprensa local. Hurtado recebeu uma sentença de 27 anos de prisão e Coronel foi sentenciado a 19 anos de prisão, informou o jornal de Lima El Comercio. O tribunal também determinou que os dois homens pagassem uma indenização de 35.000 soles peruanos (US$ 13.000), informou o El Comercio.


“Saudamos a condenação de Juan Hurtado Vásquez e de Nazario Coronel Ramírez”, declarou Carlos Lauría, Coordenador Sênior do Programa das Américas do CPJ. “Este é mais um passo na luta contra a impunidade em assassinatos de jornalistas nas Américas”.

Pérez, apresentador do programa “El Informativo del Pueblo” na Rádio Éxitos de Jaén, foi baleado em 17 de março de 2007 na frente de sua esposa e filhos por dois homens encapuzados que estavam em uma motocicleta, de acordo com os informes da imprensa. A esposa de Pérez, Nelly Guevara, ficou ferida no ataque. Pérez, de 38 anos, havia informado sobre crimes e supostos atos de corrupção governamental. Guevara disse a jornalistas locais que seu marido havia recebido ameaças de morte pelo seu telefone celular semanas antes de sua morte.

As autoridades locais explicaram que Hurtado estava furioso por causa de críticas feitas no ar contra sua noiva, diretora de uma organização local sem fins lucrativos. Segundo as informações da imprensa peruana, Coronel confessou durante o julgamento que havia dirigido a motocicleta de onde partiram os tiros contra Pérez. Os dois homens apelaram da decisão de quarta-feira.

Elvia Mendoza Linares e Dilber Cabada Arteaga também foram acusados de participação no assassinato de Pérez. Seu julgamento está previsto para 22 de abril, informou a imprensa local. A Polícia Nacional Peruana continua procurando um quinto suspeito, Sabino Sánchez Ayala, também conhecido como “Chino Ayala”, que supostamente foi o atirador, explicou o grupo local de liberdade de imprensa Instituto Prensa y Libertad.

O CPJ é uma organização independente sem fins lucrativos, sediada em Nova York, e se dedica a defender a liberdade de imprensa em todo o mundo.
Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho