Notícias   |   Cuba

Um jornalista cubano em liberdade, outros 24 continuam encarcerados

Nova York, 9 de agosto de 2006 - O jornalista independente Albert Santiago Du Bouchet Hernández foi libertado no sábado, depois de um ano de prisão, após ser acusado formalmente de “desacato” a um chefe de polícia local. O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) instou hoje as autoridades cubanas a libertar os outros 24 jornalistas que estão presos na ilha.

Du Bouchet foi posto em liberdade na noite de sábado após completar sua sentença de prisão, disse hoje ao CPJ Bárbara Pérez, sua esposa. Pérez ressaltou que seu marido está bem e, segundo informes da imprensa internacional, o jornalista está disposto a retomar seu trabalho.

Du Bouchet não teve acesso a nenhum advogado, nem antes nem durante seu julgamento. Segundo informou a sua família, as acusações foram inventadas e o julgamento foi uma “farsa”. Du Bouchet havia incomodado as autoridades alguns meses antes, ao dar cobertura ao congresso da Assembléia para Promover a Sociedade Civil em Cuba (APSC) em maio de 2005. O evento, que ocorreu em duas jornadas e foi a primeira atividade do tipo já organizada pela oposição, reuniu cerca de 200 ativistas e convidados que debateram sobre estratégias para criar uma sociedade democrática em Cuba.

“Para nós é um alívio que nosso colega Albert Santiago Du Bouchet Hernández tenha sido libertado e esteja bem, ainda que sua prisão tenha sido uma terrível injustiça”, destacou o Diretor-executivo do CPJ, Joel Simon. “Hoje, outros 24 jornalistas cubanos se encontram atrás das grades injustamente, pelo simples fato de terem expressado seus pontos de vista. Instamos as autoridades cubanas a apagarem esta mancha e colocarem em liberdade, de imediato, todos os jornalistas presos”.

Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho