Notícias   |   Nicarágua

O CPJ preocupado com denúncias de intimidação a um jornalista

Nova York, 27 de agosto de 2004— O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) manifesta sua preocupação pelos atos de intimidação denunciados pelo jornalista nicaragüense Sergio León Corea, que tem realizado matérias sobre o narcotráfico e a corrupção policial na cidade de Bluefields para o diário La Prensa, de Manágua.

León Corea, correspondente em Bluefields, na costa caribenha, disse ao CPJ que na madrugada de 17 de agosto sujeitos não identificados penetraram em sua casa e tentaram forçar a porta do quarto onde o jornalista dormia com sua esposa e sua filha de 7 anos. Leon Corea relatou que gritou para afugentá-los e deu um tiro para o alto, após o qual os invasores fugiram.

Em 20 de agosto, La Prensa divulgou que o Ministro do Interior, Julio Vega, e o Chefe da Polícia Nacional, Edwin Cordero, se reuniram com editores de La Prensa e com León Corea para analisar o incidente e se comprometeram a garantir a segurança do jornalista e de sua família. Todavia, León Corea disse que a polícia ainda não havia abordado o tema da segurança com ele e não havia se dirigido a sua casa para investigar até o dia 24 de agosto.

Nos últimos meses, León Corea escreveu vários artigos sobre o assassinato de quatro agentes da polícia em Bluefields, fato ocorrido em 4 de maio. Num artigo publicado em 10 de agosto, o jornalista citou uma fonte anônima da inteligência policial que implicou agentes da polícia e um conhecido grupo de delinqüentes no assassinato.

Luis Barrantes, chefe da polícia de Bluefields, disse a León Corea numa entrevista que o correspondente de La Prensa estava ocultando a identidade de um dos assassinos e que sua negativa em revelar a fonte do artigo o convertia em cúmplice.

León Corea também declarou que a polícia o tem seguido. Horas depois da invasão do seu domicílio em 17 de agosto, o táxi em que viajava foi seguido por dois homens numa motocicleta que, segundo o jornalista, pertenciam à inteligência policial. Ele acrescentou que foi seguido por várias vezes nos meses de julho e agosto.

Em 18 de agosto, León Corea viajou para Manágua para denunciar a perseguição ante o Centro Nicaragüense de Direitos Humanos (CENIDH), organização não governamental local. O CPJ recebeu uma cópia da resposta inicial da organização, que detalha a denúncia do jornalista. León Corea também apresentou uma denúncia ante o Ministério do Interior.

Em maio de 2003, León Corea recebeu várias ameaças após informar sobre casos de narcotráfico e a suposta participação de agentes da polícia no narcotráfico em Bluefields.

"As autoridades nicaragüenses têm a obrigação de assegurar que todos os jornalistas possam exercer seu trabalho sem receber represálias", declarou Ann Cooper, Diretora-Executiva do CPJ. "Instamos as autoridades nicaragüenses a realizar uma investigação a fundo e a garantir a segurança de León Corea".

FIN

Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho