Letras   |   Alemanha

CPJ envia carta ao primeiro-ministro sobre intimidação à mídia local

Prezado Senhor Primeiro Ministro:

O Comitê para Proteção dos Jornalistas (CPJ) está alarmado pelas recentes tentativas do Governo de Granada em intimidar a mídia local, incluindo ações legais contra a imprensa por reportagens sobre delitos alegadamente praticados por V. Sa.

Em 30 de março, o boletim eletrônico de Miami OffshoreAlert, publicou um relatório alegando que V.Sa. teria aceitado US$500.000 para nomear um cidadão norte-americano para um cargo diplomático. V.Sa. negou a reportagem, dizendo que não tinha feito nada impróprio.

Em 10 de maio, o partido de oposição Congresso Democrático Nacional organizou uma coletiva de imprensa denunciando a alegada corrupção do governo, conforme noticiado no OffshoreAlert. O Serviço de Informações do governo de Granada, então, alertou que os meios de comunicação que transmitissem ou publicassem o conteúdo da coletiva de imprensa poderiam enfrentar ações legais. Em alguns dias, o governo havia entrado com uma ação criminal de calúnia em Granada, apresentada por V.Sa. contra OffshoreAlert e seu editor, o britânico David Marchant.

Em 11 de maio, Odette Campbell, a diretora de notícias para a Rede de Transmissão de Granada, da qual seu governo controla 40 por cento, retirou-se de uma coletiva de imprensa realizada pelo ministro de turismo em protesto pela atitude do governo em relação à mídia local. Cerca de doze outros jornalistas também se retiraram. Campbell foi suspensa por uma semana por suas ações e, em 25 de maio, ela se demitiu. Ela disse ao CPJ acreditar que o governo foi responsável por sua suspensão, mas que não pode confirmar suas suspeitas.

Em 27 de maio, Leroy Noel, um repórter freelancer granadino, foi detido para ser interrogado sobre o conteúdo de um artigo publicado em 21 de maio no semanal granadino Spice Isle Review. O artigo, "NNP days are numbered", fala sobre a conexão entre membros do governista Novo Partido Nacional e pessoas acusadas de corrupção. O jornalista, que regularmente contribui para o Caribbean Net News, baseado nas ilhas Cayman, disse ao CPJ que quatro policiais o detiveram enquanto ele se dirigia ao trabalho, por volta das 6h15. As autoridades libertaram Noel quatro horas depois sem acusações.

Em 2 de junho, Noel disse ter recebido uma ameaça de morte anônima em seu celular. Noel disse ao CPJ que um homem não identificado ordenou que parasse de escrever sobre o primeiro-ministro ou ele seria morto. Após Noel receber a ameaça, seu advogado, Anselm Clouden, solicitou que o departamento de polícia de Granada começasse uma investigação sobre o assunto e providenciasse segurança para Noel.

As recentes ações de intimidações tomadas por seu governo são claramente uma tentativa de obstruir jornalistas granadinos de realizarem seu trabalho de disseminação de informação. Com todo o respeito, suas ações questionam seu comprometimento pessoal com a democracia. Nós solicitamos que V.Sa. retire todas as ações legais contra os jornalistas e desista de todos os esforços para obstruir o trabalho da imprensa.

Sinceramente,



Ann Cooper
Directora Executiva


Mais sobre
Publicado

Gostou deste artigo? Apóie nosso trabalho